Governo investe mais de R$1,8 milhão para modernização dos sistemas de informática da Cohidro e Emdagro

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), por meio do Programa Águas de Sergipe, assinou um termo que autoriza a compra e a posse de diversos equipamentos de informática para a modernização dos sistemas de tecnologia da informação da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação (Cohidro) e da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe de (Emdagro). O valor total do investimento é superior a R$1,8 milhão.

Dentro do Programa Águas de Sergipe, financiado pelo Banco Mundial, existem ações que visam modernizar e dar uma melhor estrutura às empresas e agentes que fazem parte do Programa, como a Cohidro e Emdagro. Uma dessas ações é dotar essas empresas com modernos equipamentos de mobília e, neste caso, de tecnologia da informação para que elas possam melhor desempenhar suas ações.

“Esse investimento vai possibilitar que essas empresas modernizem seus sistemas e tenham mais automação para prestar seus serviços à população. Considero a Emdagro e a Cohidro como duas empresas fundamentais que prestam serviços relevantes ao homem do campo, ao pequeno agricultor familiar. É importante salientar que esses equipamentos vão chegar também aos escritórios desses órgãos no interior do Estado”, destaca o secretário Olivier Chagas, o qual classifica a Cohidro Emdagro como parceiras abnegadas.

O diretor de Irrigação e Desenvolvimento Agrícola da Cohidro, João Quintiliano da Fonseca, destacou o papel da Semarh e de Olivier para o andamento das ações do programa. “A gente tem que reconhecer que, nos últimos quatro anos, com a gestão de Olivier no comando da Semarh, o Programa avançou bastante. No caso da Cohidro, os avanços foram significativos e estamos executando diversas obras dentro dos perímetros irrigados. Temos um programa de segurança das barragens, também do Programa, que é de extrema importância para o Estado, para que possamos agir no caso de uma emergência. Essa assinatura sobre os equipamentos de informáticas também é fundamental para a Cohidro, porque ela tem uma infraestrutura deficitária nesse segmento, a exemplo de rede de fibra ótica, um servidor. Não é só importante para a Cohidro, é importante para os produtores irrigados. Vamos ter mais condições de cobrar tarifas e elaborar boletos, é condição de trabalho para todos”, elogia.

Opinião semelhante tem o diretor-presidente da Emdagro, Jeferson Feitosa. “Temos de aplaudir o secretário Olivier pela sua gestão como um todo.  O Programa Águas de Sergipe continua e a importância que ele tem para a Emdagro eu reputo como extremamente importante, por levar ações para o homem do campo. Esses equipamentos vão para atividades fim da Emdagro, beneficiando o produtor”, enaltece.

O coordenador da Unidade de Administração do Programa Águas de Sergipe (Uapas), Everton Teixeira, explica que a assinatura contempla várias compras de equipamentos de informática e o mais importante: um novo servidor para cada uma dessas empresas. “Um servidor moderno que vai permitir sobrevida de 15 a 20 anos além dos equipamentos adicionais, como computadores, microcomputadores, notebooks e outros equipamentos que vão permitir uma modernização muito grande, tanto em suas sedes como nos escritórios regionais, o que certamente irá beneficiar os pequenos agricultores”, conclui.

Águas de Sergipe

O governo de Sergipe nutre, por meio da Semarh, uma parceria sólida com o Banco Mundial para a realização de obras estruturantes capitaneadas pelo Águas de Sergipe, o qual visa promover o uso eficiente das águas da Bacia Hidrográfica do Rio Sergipe, aperfeiçoando práticas de manejo do solo e da qualidade do sistema fluvial.

Com o programa, são realizados investimentos especialmente em esgoto, irrigação, drenagem e resíduos sólidos, com cerca de 80 ações em diversos municípios, despontando como um dos mais importantes projetos desenvolvidos pelo Estado. O programa é fruto de acordo de empréstimo concedido pela entidade internacional, avaliado em R$117 milhões, sendo R$ 47 milhões em contrapartida já honrados pelo Estado.

Três componentes

O programa foi desenvolvido em três grandes frentes ou componentes de trabalho. No componente 1, o foco é a estruturação da estratégia de cuidados dos recursos hídricos do Estado.

Já o componente 2 visa executar medidas que venham a melhorar a qualidade e utilização dos recursos hídricos nas áreas de atuação dos perímetros irrigados da agricultura familiar. Além disso, esse componente dá condições para que as parceiras Cohidro e da Emdagro fortaleçam suas atividades institucionais, dotando essas empresas de equipamentos, de veículos, de reformas de estruturas, com atualização de softwares, informática, dando condições a elas de executar melhor o seu papel.

Considerado o mais importante do programa, o Componente 3 tem obras estruturantes de esgotamento sanitário, executada pela Deso. Uma das ações mais pujante acontece no município de Itabaiana, região Agreste do Estado, com a obra, já concluída, da estação elevatória e de tratamento de esgoto, dando um grande passo para a despoluição do rio Jacarecica, que é afluente do rio Sergipe e interligado ao açude da Marcela.

Em Nossa Senhora das Dores ocorre implantação do sistema de esgotamento sanitário. Serão 80% da população urbana atingidos, ou seja, mais de 20 mil pessoas atendidas através de mais de 4.500 ligações.

Outra importantíssima obra é a reconstrução da antiga ponte de Pedra Branca, entre os municípios de Laranjeiras e Maruim, e a recomposição do trecho original da adutora do São Francisco. São mais de R$ 16 milhões sendo investidos para que aproximadamente um milhão de pessoas continuem recebendo água em suas casas. A obra começou em 2016 e tem previsão de término para este ano.