Alunos do colégio Estadual Eduardo Silveira visitam estação elevatória de tratamento de esgoto de Itabaiana

postado em: Destaque 2 | 0
Na manhã desta sexta-feira, 21, cerca de 60 alunos do 3º ano do ensino médio do colégio Estadual Eduardo Silveira foram conhecer a estação elevatória de tratamento de esgoto do município de Itabaiana, sistema construído pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), por meio do Programa Águas de Sergipe, e orçado em R$23 milhões em convênio com o Banco Mundial.
O sistema é um grande passo para a despoluição do rio Jacarecica, que é afluente do rio Sergipe e interligado ao açude da Marcela. A segunda etapa do empreendimento, que compõe a interligação das redes à estação e drenagem, está sendo executada.
O engenheiro de obras da Unidade de Administração do Programa Águas de Sergipe (Uapas), Renato Sierra, representou o gestor da Semarh, Olivier Chagas, durante a visita e explicou que, quando esta segunda etapa estiver concluída, todo o sistema de esgotamento sanitário e pluvial da cidade estará interligado à rede da estação elevatória. Com as duas etapas em funcionamento, todo problema histórico de inundações em épocas de chuvas na região central de Itabaiana será sanado.
“Essa obra foi financiada com recursos do Programa Águas de Sergipe, em convênio com o Banco Mundial, e é importante essa futura geração vir conhecer esse tipo de empreendimento para ver o cuidado que o secretário Olivier Chagas e o governador Belivaldo têm para com o meio ambiente. Isso aqui é uma obra ímpar e o que tem de mais moderno no sistema de tratamento de esgoto”, destacou Sierra.
O professor Adriano Oliveira disse que a interação dos alunos com relação ao conhecimento de todo o sistema é salutar para o aprendizado. “Como estamos trabalhando temas relacionados ao meio ambiente, resíduos sólidos, a questão de esgoto, resolvemos mostrar o quão é importante esse tipo de investimento. É interessante que eles saibam a importância desse tipo de obra para o futuro da cidade”.
A coordenadora do colégio, Cristiane Vital, também sintetiza a visita como “importante” “E digo mais: os alunos estão saindo da teoria e vivendo a prática, a dinâmica de toda uma contextualização ambiental, de um sistema complexo de tratamento de esgoto. É bastante enriquecedor”.
O aluno José Maikon, de 17 anos, gostou do que viu. “Eu fiquei bastante curioso ao ver a grandiosidade dessa obra. É um grande aprendizado para todos nós”.
Opinião semelhante tem a aluna Viviane Oliveira, 18. “Ver como funciona esse sistema foi maravilhoso. Aprendemos bastante como acontecem as fases de tratamento do esgoto. Não vou esquecer”.