Missão do Banco Mundial avalia positivamente ações do Programa Águas de Sergipe

postado em: Outras Notícias, SRH | 0

Integrantes do Banco Mundial estão em Sergipe para avaliar o andamento das ações do “Programa Águas de Sergipe”, o qual é coordenado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), com interveniência de outros órgãos estaduais, e que vem possibilitando, a execução de um conjunto de obras estruturantes que ultrapassam os US$ 117 milhões, por meio de empréstimo com a entidade global, principalmente na área de esgotamento sanitário e recuperação de áreas degradas no entorno da bacia hidrográfica do rio Sergipe.

A missão do banco realiza esse acompanhamento das ações a cada seis meses. Na manhã desta quarta-feira, 30, após duas semanas de visitas a campo e alinhamento dos projetos, foi realizada uma reunião, na sede da Semarh, com todos os órgãos envolvidos [Deso, Cohidro e Emdagro]. E a avaliação do corpo técnico do Banco é altamente satisfatória, como explica a especialista sênior para recursos hídricos do Banco Mundial, Paula Freitas. “Estivemos em novembro do ano passado e estamos aqui, novamente, para vistoriar o andamento das atividades e percebemos um avanço considerável. Muitas ações precisavam ser ajustadas e foi possível ver esse avanço acontecer. Temos, agora, de concluir o que ainda resta até o encerramento do projeto, em 30 de abril de 2019. O Programa está sendo muito bem executado por todos os órgãos envolvidos e temos que garantir, a partir de agora, que todas as atividades que ainda não foram contratadas possam ser contratadas nos próximos poucos meses”, afirma.

Para o secretário Olivier Chagas, a avaliação positiva do Banco é muito importante para a continuidade dos serviços. “O Programa está andando bem e isso nos deixa felizes. Tivemos uma auditoria, recentemente, em que o programa foi avaliado positivamente e, agora, chega a missão do banco e confirma isso. Certamente chegaremos, ao final do programa, com muitos resultados positivos. São mais 11 meses de contrato e esperamos concluir tudo aquilo que estava previsto, a exemplo da segunda etapa do esgotamento sanitário e a macrodrenagem no município de Itabaiana”.

Ainda de acordo com o secretário, algumas ações que estão em execução foram contratadas recentemente, a exemplo da recuperação dos perímetros irrigados da Cohidro (Jacarecica I e Poção da Ribeira), e a execução das atividades de reflorestamento de áreas de mananciais e barragens, sob responsabilidade da Semarh, Emdagro e Cohidro.

O coordenador da Unidade de Administração do Programa Águas de Sergipe (Uapas), Everton Teixeira disse que, nos últimos seis meses, o Programa Águas de Sergipe conseguiu contratar mais de 14 ações, atendendo os objetivos do Banco. “Conseguimos cumprir a maioria dos objetivos que nos propomos na última missão do Banco, em novembro de 2017. De lá para cá, avançamos bastante na prática, ou seja, muitas ações contratadas, muitos novos contratos em andamento. Isso é o que mantém o projeto em linha e nos dá segurança de afirmar que, se continuarmos nesse ritmo, o projeto será concluído e bem desenvolvido”, prevê.

O especialista em irrigação e infraestrutura rural da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o argentino Luís Loyola, também esteve presente ao encontro e elogiou o projeto. Entretanto, ele disse que ainda há muitos desafios. “Acompanho, conjuntamente, a missão com o Banco Mundial, em apoio à equipe do projeto, principalmente com os técnicos da Cohidro. O projeto tem um grande desafio pela frente. Ainda é preciso implementar algumas ações, principalmente com relação aos perímetros irrigados da Cohidro. Percebo um esforço conjunto para que essas ações estejam em andamento”, destacou ele.

Águas de Sergipe

O Águas de Sergipe é um programa criado para melhorar a qualidade da água da Bacia Hidrográfica do Rio Sergipe, através do fortalecimento institucional do Estado, melhorando as práticas de manejo do solo e a qualidade da água. É fruto de um acordo de empréstimo firmado entre o governo do Estado e o Banco Mundial (Bird), que possibilitará a execução de mais de 80 ações.

O projeto foi montado com interdisciplinaridade de participantes. A coordenação é da Semarh e fazem parte as Companhias de Saneamento de Sergipe (Deso) e de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro) e a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro).

Fotos: Lucas Noronha/Semarh