Reuniões para implantação dos novos sistemas de irrigação no Jacarecica I e Ribeira têm continuidade

postado em: Outras Notícias, SBF | 0

Na tarde da última quinta-feira, 26, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) promoveu uma reunião no auditório da Universidade Federal de Sergipe (UFS), em Itabaiana, com o objetivo de discutir ações de recuperação de matas ciliares, através de reflorestamento nas áreas dos entornos dos perímetros irrigados Jacarecica I, Ribeira e Açude da Marcela, além de irrigação localizada.

O gestor da Semarh, Olivier Chagas, recepcionou todos os produtores rurais que participaram da atividade. “Mais uma reunião que estamos fazendo com os agricultores desses perímetros irrigados para que possamos deixar bem claro qual é a ação que vamos executar e qual a importância dela para que possamos fazer reflorestamento das matas ciliares e também ter um processo de irrigação que seja mais econômico do ponto de vista da quantidade de água e de energia”, explicou o secretário.

Essa é a terceira que acontece em menos de um mês. O secretário Olivier tem notado uma evolução nas discussões: “Avalio o resultado como positivo. O que nós estamos trazendo é uma novidade. Toda novidade implica em questionamentos, em dúvida, em receio, o novo sempre traz isso. Mas nós aos poucos estamos quebrando a insegurança e mostrando que nossas ações são importantes para a coletividade”.

João Fonseca, diretor de irrigação da Companhia de Desenvolvimento dos Recursos Hídricos e de Irrigação de Sergipe (Cohidro), assegurou que o caminho para eliminar os questionamentos será a tentativa. “Apresentamos o projeto da irrigação localizada e os produtores colocaram algumas preocupações em relação ao funcionamento desse projeto. Ficou acertado que vamos implantar dois lotes teste, um em cada projeto. Estamos apenas aguardando chegar o material para colocarmos em execução”, comentou.

O agricultor do perímetro irrigado Jacarecica I, José Carlos Santos Nascimento, avalia a proposta como positiva. “A proposta é muito boa no que se refere à economia de água e energia. Só é necessário fazer o teste para confirmar a eficiência do sistema. Se for aprovado, ótimo. Muitos terrenos lá já possuem o sistema de microaspersão na irrigação, o que muda é a distância dos micro. Vamos aguardar para ver se vai dar certo”.

A Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) também esteve representada na reunião. “A Emdagro é parceira da Secretaria de Meio Ambiente no programa Águas de Sergipe, especificamente na área do Açude da Macela. Nosso trabalho é de conscientização de todos esses produtores, haja visto, que hoje há uma Lei Ambiental, que determina que o agricultor precisa ter uma área de 20% de reserva em sua propriedade e isso precisa ser cumprido”, explicou o gestor local do escritório da Emdagro de Itabaiana, Waltenis Braga.

Fotos: Adelvan Nascimento